Ninguém pode saber || Crime , Mistério e Suspense , Thriller Policial || Karin Slaugther || 416 || 2019 || HaperCollins Brasil 

Sinopse:
Andrea sabe tudo sobre sua mãe, Laura. Ela sabe que Laura sempre viveu na pequena cidade costeira de Belle Isle; sabe que a mãe nunca desejou nada além de uma vida serena como integrante da comunidade; e sabe que ela jamais guardou um segredo na vida. Afinal, todos conhecemos nossas mães, certo?
Mas tudo muda quando uma ida ao shopping se transforma em um cenário de violência e caos, e Andrea conhece um lado completamente novo de Laura. Parece que sua mãe, antes de ser Laura, era outra pessoa. Durante quase trinta anos ela escondeu sua identidade, vivendo sossegadamente na esperança de que ninguém descobrisse quem era de verdade. Agora, exposta, nunca mais poderá viver como antes.A polícia quer respostas e a inocência de Laura está em jogo, mas ela se recusa a falar com quem quer que seja, inclusive com a própria filha.



Andy tem 31 anos e sabe que sua vida podia ser diferente, mas não sabe como, nem o quê poderia ter feito. No momento ela mora na cidade interiorana onde nasceu e de onde sempre quis ir embora, e foi, mas sua mãe teve câncer e ela voltou para casa para cuidar dela, o problema é que o câncer já foi erradicado e ela continua no mesmo lugar.

Ela sempre acreditara ー veementemente e com grande convicção ー que a única forma de mudar o mundo era destruí-lo.

Aquela tarde tinha tudo para ser normal, mais um dia em que ela escutaria sua mãe e continuaria na mesma, mas quando um homem entra armado no restaurante e assassina pessoas, Andy vê tudo em câmera lenta, quando o homem parte pra cima dela e sua mãe o mata a sangue frio, Andy se perde, quem é aquela mulher? Onde ela aprendeu tudo aquilo?

No hospital as coisas ficam piores, sua mãe quer que ela minta para a polícia e finja que não se lembra de nada, e quer que ela vá embora, suma para longe e não volte mais. Perdida e sem rumo, Andy começa a investigar o passado de sua mãe para descobrir quem ela era e o que aconteceu, e nessa nova jornada descobrirá não só segredos, mas uma força e garra até então escondidas no seu silêncio.

Para quem acompanha o Paraíso não é segredo que sou fã da Karin, e sempre que a Harper anuncia um novo livro fico eufórica pela leitura, e tenho como meta ler todos os livros dela, com esse não foi diferente, mas depois de 5 livros da autora, sinto que faltou algo aqui, um carisma da personagem, uma adrenalina e agilidade que não estavam presentes e que fizeram muita falta!!!

Andy tem 31 anos, mas parece que tem 10, a vida dela está estacionada e até a metade do livro está mais perdida que barata envenenada, não sabe o que fazer, o que pensar e nem o que dizer, vai sendo levada pela onda que é sua mãe, e acomodada não faz nada para mudar. Até que o assassinato acontece e ela se vê sem chão ao ser expulsa pela mãe, pra onde ela vai? E por que está sendo expulsa? Mas o fator dominante de tudo isso não é o assassinato cometido por sua mãe, e sim o que ela comete no mesmo dia salvando a mãe de um invasor.

Como ainda era possível amar alguém que havia tentado matá-la?

Quando ela enfim começa sua busca por respostas, parece sinceramente que ela vai amadurecer, e no fim ela até amadurece e aprende algumas palavras, mas isso demora viu... enquanto isso ela vai sendo arrastada pelos acontecimentos sem conseguir tomar uma decisão.

Karin é uma autora extraordinária, todos os seus livros são de tirar o fôlego, mas Ninguém pode Saber deixou a desejar. A protagonista não cativa, o que leva o leitor até o final é o segredo de Laura, uma mulher forte e determinada que possui um passado repleto de abuso e sofrimento.

O livro é narrado entre presente e passado, acompanhando a saga de Andy por respostas, e o passado onde somos apresentados a verdadeira história de Laura. E no final o livro é inteiramente sobre amor, até onde ele nos leva, e em qual momento ele deixa de ser saudável para se tornar prejudicial?

Ela o odiava demais. Esse era o problema. Você não odeia alguém a não ser que uma parte de você ainda o ame.

Karin mais uma vez apresenta a força e a fraqueza feminina, a sensibilidade de uma mulher que ama, e sua força e coragem para encarar qualquer coisa para manter esse amor vivo. E o abuso que essa mesma mulher pode sofrer acreditando que ainda está sendo amada.

Um livro intenso e que faz refletir, e pode até despertar gatilhos em pessoas que já tiveram relacionamento abusivo. Se você ainda não conhece a escrita da autora e deseja começar por algo mais leve, Ninguém pode saber com certeza é a indicação, se aventure nessa trama e se pegue tramando pelo errado porque acredita que é o certo.