[Resenha] A História de Malikah #02 - Marina Carvalho

Título: A História de Malikah - Livro 02
Série: O amor nos tempos do ouro #02
Gênero: Romance de Época | Drama | Lit. Nacional
Autora: Marina Carvalho
Editora: Globo Alt 
Páginas: 336
Ano: 2017 


Sinopse:
Malikah conheceu muito cedo toda a crueldade de que o ser humano é capaz. Escravizada e trazida ainda criança da África ao Brasil, sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho do dono da fazenda onde trabalhava. Mesmo sendo resultado de uma relação de amor, estar grávida de um de seus senhores era uma afronta aos homens da casa-grande, por isso Malikah foi duramente castigada e quase morta.Malikah e seu bebê, Hasan, só conseguiram escapar com a ajuda de Cécile e Fernão, que lhes deram abrigo na Quinta Dona Regina, um lugar novo onde todos, brancos e negros, poderiam viver em liberdade. Porém, mesmo com a relutância de Malikah, Henrique continua por perto, arrependido por não ter protegido sua amada e tentando se aproximar de Hasan.Mas como um homem que foi ensinado a cometer tantas atrocidades poderá dar a uma criança o amor incondicional? Apesar de Malikah ainda sentir algo por ele, é possível perdoar alguém que representa para ela tantos anos de injustiça e sofrimento?



E
a #MSN2017 já começou a todo vapor, passei um ano esperando por essa obra prima da Marina, e quando ele chegou tive que esconder para conseguir aguentar até Setembro, e enfim me deliciei com essa história linda e emocionante que mais uma vez Marina nos proporciona.


"Claro e escuro. Branco e preto. Certo e errado. Henrique e Malikah."



Quem leu o primeiro volume da série, conheceu muito pouco de Malikah, no primeiro volume ela se tornou uma grande amiga da nossa querida Cécile e estava grávida do filho de Euclides e sendo protegida por Fernão.

A autora dedicou todo um volume para explicar a triste história de vida de Malikah, trazida para o Brasil ainda muito pequena em um navio cargueiro e vendida como objeto em conjunto com sua mãe para o crápula Euclides. Desde de pequena Malikah tinha contanto com Henrique, o filho do Sinhô, e com o passar dos anos aquilo que era uma amizade inocente se tornou um amor intenso que foi destruído pelo preconceito e maldade de Euclides.

Henrique sempre foi uma criança solitária, com um pai monstruoso e uma mãe carinhosa, mas triste, ele achou companhia e alegria onde menos esperava, na Senzala, mas mesmo quando sua amizade virou amor, Henrique ainda estava tentando conquistar a admiração do seu pai, e por esse motivo se deixou envenenar por Euclides, virando as costas para Malikah quando ela mais precisa, mas quando enfim ele descobre todos os podres do seu pai, resolve lutar pela sua família e tentar de alguma maneira se redimir aos olhos de sua família.

Ao ler a segunda obra de Marina, abri meus olhos para o real sentido da classificação Romance de Época. Por mais que eu seja uma aficionada em romances desse gênero, poucos deles me transmitiram tanto conhecimento quanto O amor nos tempos de ouro 1 e 2. No primeiro, Marina nos apresenta o ponto de vista da donzela injustiçada, forçada ao casamento sem amor, e nos segundo ela nos apresenta a dura realidade da escravidão, a vida miserável vivida por muitos homens, mulheres e crianças em uma época onde sua cor valia muito mais que seu caráter.

É impossível não se emocionar  com a vida de Malikah e por mais que essa mulher em questão seja fictícia, saber que outras de verdade passaram por tudo isso e mais é repugnante e desesperador, saber que esse preconceito ainda existe é vergonhoso.


"-Vivemos em um mundo injusto e cruel, querida, onde seres humanos subjugam seus semelhantes sem remorso. A maioria dos brancos é doutrinada desde cedo a acreditar que pessoas de outras raças são inferiores. Na hierarquia dessa gente, alguns animais têm mais valor do que o homem, especialmente se esse for negro, ou gentio, ou pobre.(...)"

Marina conta a história de Malikah com uma sensibilidade só dela, e apesar de existir romance no enredo, os acontecimentos contra Malikah são bem mais impactantes que a luta de Henrique para conquistar sua família.

Um romance sensível, emocionante, cheio de lições, não só culturais sobre o nosso país, mas também morais, sobre sentimentos, amizades e caráter. Mais um romance da Marina que prova que ela não é minha ídola à toa.

O livro é narrado em terceira pessoa e os capítulos se revezam entre o presente e o passado, nos apresentando a vida de personagens do primeiro livro como Henrique, Euclides entre outros, a escrita da autora e contagiante, a leitura é leve e fluída, quando menos se espera o livro já acabou. 


"(...) Esperar que um homem nascido em liberdade possa aceitar ser confinado ou proibido de ir onde quiser é tão impossível quanto esperar que os rios corram ao contrário."

Com uma diagramação impecável, e uma revisão minuciosa, o livro não pode ser classificado com nada menos que lindo, linda obra, linda capa, lindo trabalho editorial. Uma obra prima que merece estar na estante dos apaixonados por literatura.

Se você ainda não conhece a autora se dê uma chance, Marina tem mais de 8 livros lançados sendo 3 deles pela Globo Alt, com acervo com temas como fantasia, YA e Romance de época, pode ter certeza que um desses vai te cativar!!!



Conheça a série:




O Amor nos tempos do ouro 
Resenha
Sinopse:
"Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?"Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

7 comentários:

  1. Oi!
    Não tenho dúvidas sobre a qualidade de escrita da autora, afinal, até hoje nunca vi comentários negativos sobre suas obras. Dica mais que anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Livros assim trazem uma carga dramática bem forte e me faz refletir sobre muitas coisas. Não conhecia a autora, mas fiquei muito curiosa com essa leitura, vou anotar a dica e espero poder ler muito em breve.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas pude perceber que trata-se de uma trama em intensa e fiquei muito curiosa, vou anotar aqui o nome e procurar o livro 1.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  4. OOOIiii, eu ainda não li nadada Marina Carvalho, mas essa história me chama muita atenção e ler sua resenha despertou mais ainda minha curiosidade!

    ResponderExcluir
  5. Oi BFF!
    Eu adoro a Marina Carvalho, já li vários livros dela, menos essa série. O que é uma vergonha já que você elogia tanto e até me deu o primeiro livro. Mas vou me emendar e prometo que lerei o mais rápido possível.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Menina eu ainda não li nada da autora. Tenho O Amor nos Tempos de Ouro aqui na minha estante, mais ainda não arranjei tempo para ler o livro.
    Adorei saber a sua opinião sobre essa história e já vou anotar a dica.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  7. Parece ser bem interessante a historia e que bom que se for para adquirir, já tenha os dois volumes....

    Beijos
    Viviana

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.