Precisamos de Novos Nomes || NoViolet

Precisamos de Novos Nomes || Ficção . Romance , Drama || NoViolet Bulawayo || 254 || 2014 || Biblioteca Azul 

Sinopse:
Essas crianças a cada dia tentam fugir de Paraíso, o aglomerado de barracos de zinco onde elas e suas famílias vivem desde que suas antigas casas foram demolidas violentamente a mando do governo. As fugas são para perto, para Budapeste, o bairro vizinho onde roubam as goiabas do quintal das casas das famílias brancas e ricas, ou ainda com as brincadeiras que criam para se distrair do cotidiano entediante sem escola nem comida: fingem procurar Bin Laden para ganhar a recompensa do governo americano; criam um jogo em que os países mais poderosos invadem os países menores. As fugas acontecem também quando sentem um misto de vergonha e empolgação ao se aglomerarem ao redor dos carros das ongs que lhes trazem presentes e roupas inadequadas.
Mas é a vida de Darling, a protagonista-narradora, que o romance acompanha. A menina de dez anos que conhecemos em suas brincadeiras no Paraíso, sonha com o dia em que morará na América. Esse dia finalmente chega e Darling terá de enfrentar o frio, a saudade de sua família e de seus amigos e a adaptação nesse país que nunca vai se tornar o seu país de fato, mas que mudará seu sotaque, moldará o olhar do mundo e a afastará, irremediavelmente, de sua terra natal.


Em Precisamos de novos nomes vamos conhecer e acompanhar Darling, uma criança de 11 anos que nos apresenta sua vida, seus amigos e o país onde mora através dos seus olhos. Darling é uma criança muito esperta que mora em Paraíso, uma periferia localizada no Zimbábue, apesar de amar o lugar onde mora, nossa protagonista sonha com o dia em que irá morar com a sua tia nos EUA, ela acredita que tudo será melhor quando se mudar, e enquanto isso curte seus amigos roubando goiabas e fazendo outras brincadeiras nos bairros ricos da cidade.

Durante a narrativa, mesmo que leve, se torna impossível não notar pequenos detalhes que representam a crueldade e miséria em que essas crianças vivem, seja na indignação delas ao receber doações de Ongs que não fazem o maior sentido, ou na gestação precoce de Chipo, a amiga de Darling que apesar de possuir a mesma idade, já está grávida e daquele que deveria protegê-la.

É através dos olhos e das brincadeiras de Darling e seus amigos que vamos conhecer a realidade das pessoas carentes de Zimbábue.  É triste ver como coisas as mazelas sociais são apresentadas nas brincadeiras das crianças, e como a violência é abordada de forma natural, seja na brincadeira dos países onde as grandes potências são enaltecidas e os países pobres são relegados, ou quando as crianças decidem colocar em prática o que viram na televisão para ajudar Chipo a fazer um aborto e assim poder brincar sem o peso da barriga.

Depois de uma infância conturbada, Darling finalmente se muda para os EUA, e lá terá que aprender uma nova cultura, e será mudada pelo povo a sua volta de uma forma inimaginável, mas ainda sim, lá não é seu lar e nunca será sua terra, não importa o que ela faça ou quanto tempo passe ali.

Precisamos de Novos nomes é livro intenso e visceral, trata de assuntos pesados como miséria, abuso infantil, drogas entre outros. Tudo isso é visualizado pelas crianças de forma simples e comum, e a dor maior é saber que é simples porque ele vivenciam isso todo dia, uma criança roubar para comer é normal e dependendo da sua situação divertido. Uma menina de 11 anos grávida do pai é comum, mas um fardo porque ela já não é mais tão ágil nas brincadeiras. Abandonar seu país, sua casa e sua cultura é comum que quiserem algum futuro.

Olhe para os Filhos da terra indo embora aos bandos, deixando sua terra com feridas que sangram em seus corpos e susto em seus rostos e sangue em seus corações e fome em seus estômagos e tristeza em seus passos. Deixando suas mães e pais e filhos para trás, deixando seus cordões umbilicais debaixo do solo, deixando os ossos de seus antepassados na terra, deixando tudo o que os torna quem e o que eles são, indo embora, pois não é mais possível ficar. Eles nunca mais serão os mesmos, porque você simplesmente não tem como ser o mesmo depois que deixa para trás quem ou o que você é, você simplesmente não tem como ser o mesmo.

Apesar do livro ser narrado por uma criança, e sua inocência dar um ar de leveza a crueldade, é impossível não se sentir tocada por sua história. Não querer mudar o mundo, mudar o homem.

Esse é o livro de estréia da autora NoViolet Bulawayio, e já de cara nos apresenta uma narrativa pesada, mas de fácil absorvição que não vem para enfeitar os dias, mas para mostrar a realidade dos desafortunados que pouco são citados ou notados no mundo.

Precisamos de novos nomes é um romance de formação, conheceremos e acompanharemos a vida de Darling da sua infância a maior idade, a obra está dividida em duas partes, a primeira sua infância vivida no Zimbáue, e a segunda depois que Darling se muda para os EUA.

Se você é do tipo que curte uma leitura intensa e sincera, que não maquia a realidade do mundo, mas apresenta ao leitor as nunces de outros lugares, com certeza vai gostar da obra. E apesar dos momentos tristes e das cenas intensas, super recomendo a leitura. Leia e desperte o seu lado humano.


5 comentários:

  1. Olaaa
    eu comprei esse livro na feira do livro aqui de São Luís sem nem conhecer, so por curiosidade msm E lendo tua resenha, acho que fiz o certo. To bem animada para lê-lo.

    Obg ♥

    ResponderExcluir
  2. Oiieee

    Não conhecia esse livro, achei a dica maravilhosa. Deve ser uma trama dura mas incrivel, principalmente por estar narrada através de uma criança e debater temas tão dificeis. Dica anotada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Menina, que livro é esse????
    Já fiquei chocada só com a resenha. Já quero ler, amo esses temas por mais pesados que sejam, e na verdade acho extremamente necessário.

    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu gosto muito de romances de formação e já vou colocar esse na lista de desejados. Pelo seu post, me parece ter uma trama ber forte, mesmo sendo contada pelos olhos de uma criança.

    ResponderExcluir
  5. Oi Kelly.

    Que livro com assuntos pesados. Não sabia nada a respeito dele. Achei bastante interessante e vou adicionar na lista de desejado por que fiquei bem curiosa. Parabéns pela resenha e obrigada pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.