[Resenha] A mulher na janela - A. J. Finn

A Mulher na Janela || Não é paranoia se está realmente acontecendo || Suspense e Mistério || A. J. Finn || 352 || 2018 || Arqueiro 

Sinopse: 
Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

Q
uando um bom suspense lhe é oferecido, não se deixa passar a oportunidade, depois de conhecer esse gênero literário, meu amor foi incondicional, então sempre que posso que jogo num bom livro de mistério. E foi assim que passei a semana abraçada a Uma Mulher na Janela, um triller que com certeza me confundiu e me deixou bem instigada e concentrada na leitura.

Anna Fox é uma mulher com um passado pesado, depois de sofrer um grave acidente, a Dra Fox desenvolveu Agórofobia, um tipo de distúrbio psicológico que impede que a pessoa se sinta confortável em lugares espaçosos como a rua e outros ambientes comuns. No caso da Dra, fazem 10 meses que ela não sai de casa. E que ironia do destino não? Já que Anna é psicóloga infantil.

Impedida por si mesma de deixar seu lar, Anna passa os dias na internet, ajudando pacientes e jogando xadrez ou assistindo filmes clássicos, tomando muito vinho com seus comprimidos e acompanhando a vida dos seus vizinhos pela janela. Mas quando os novos vizinhos chegam, Anna nem imagina o quanto sua vida e sua rotina será alterada.

Em uma bela noite regada a vinho e comprimidos, Anna pega no sono no sofá assistindo a mais um clássico do cinema, mas quando ela vê sua vizinha Jane Russel ser assassinada e liga para a policia que tudo se torna confuso, e não só para ela. Ao que tudo indica, tudo não passou de uma alucinação, mas será?

— Não é paranoia se está realmente acontecendo.

Anna é claramente alcoólatra, e o fato dela entornar vinho e mais vinho e engolir os comprimidos com ele não ajuda em nada seu estado psicológico. Quando as pessoas começam a dizer que nada aconteceu, não só ela como eu também fiquei na dúvida, mas como assim? Supostamente a Sra Russel que Anna conheceu não é a verdadeira Jane Russel, foi tudo uma alucinação? Um efeito das misturas loucas de drogas e vinho? Mas se ela imaginou tudo, porque Ethan o filho dos Russels parece tão assustado?

A escrita do autor é simples e contagiante, com o enredo narrado em primeira pessoa, vamos acompanhar o desenrolar dos fatos pelos olhos translúcidos de Anna, e acredite discernir o que é verdade do que não é se torna praticamente impossível. A mulher na janela é um convite a uma viagem louca e alucinada.

Em muitos momentos eu quis bater nela, todo aquele álcool estava me irritando e eu precisava saber o que tinha acontecido, mas aí, na metade do livro a leitura se torna eletrizante e fica impossível largar o livro ou lembrar o porque bater em Anna, eu só queria a verdade, e eu torcia para que Anna estivesse certa.

A mulher na janela é um triller que promete mexer com seu psicológico, te deixar abalado e confuso durante a leitura, eufórico e enfim de queixo caído com o plot twist!!! O livro é sensacional, e o fato do mesmo já ter tido seus direitos adquiridos para uma adaptação cinematográfica só provam o quanto o enredo é bom.

Se você ainda não está acostumado com o gênero, esse pode ser um bom livro se você for uma pessoa paciente, e se você já esta acostumado, acredito que vai gostar muito dessa leitura intensa que lembra em vários aspectos o famoso e queridinho Uma garota no trem. Uma leitura rápida, uma boa pedida para o fim de semana, super indico a leitura.



4 comentários:

  1. Nuuussa, te contar, até gosto desses jogos mentais, mas qdo os faço e NÃO qdo fazem comigo! Ahahhhaha #ALoka
    Mas curti tanto sua empolgação com a resenha que vou colocar na lista "Quero Ler" do Skoob, valeu pela dica e por foder ainda mais minha lista infindável d livros pra ler!! Vou parar de vir aqui! #Meeentiiiira

    ResponderExcluir
  2. Sabe que eu leio o estilo saindo da minha zona de conforto... e por algum motivo, eu queria muito ler esse, mas todos sempre soltam essa de que é parecido com a garota no trem... Eu sei que os livros tem suas coisas parecidas no gênero e até entendo que ele pode ser parecido e ainda assim diferente e interessante... Mas eu não tive a melhor das experiencias com garota no trem... ai me bate um medo de arriscar esse...
    E a minha curiosidade em querer saber os spoilers???? Como fica???
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  3. Curto demais thrillers e adorei A garota no trem, você ter dito que lembra em muitos aspectos me deixou mais animada que já estava pra ler esse livro. Acho que a protagonista vai me irritar horrores no início da leitura, mas resistirei... Rs...

    ResponderExcluir
  4. Ola lindona, menina estou doida para ler esse livro, são tantos elogios a escrita da autora que aguçam a curiosidade do leitor, após sua resenha fica a certeza que o livro vale a pena. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.