[Resenha] Anjo Russo - Zia Stuhaug

Anjo Russo || Policial , Triller Policial || Zia Stuhaug || 248 || 2017 || Mais que Palavras 


Sinopse:
Na instigante obra, Liudmila, uma russa com cidadania dinamarquesa, é acusada e presa por um atentado. Enquanto isso, a alguns bons quilômetros dali, Mattias Larsen, homem frio e calculista, capaz de sentir afeto somente por um lobo domesticado que adotou, ri e comemora a notícia iminente da morte de Elisa, esposa de seu patrão, Eirik Leiv.
Em busca de uma preciosidade denominada "O Tesouro de Iduna", Mattias percorre um caminho obscuro, passando pela Escandinávia. Ali ele rouba o "Códice de Uppsala", manuscrito medieval islandês que inclui a versão mais antiga do Edda em Prosa, doado em 1669 à Biblioteca da Universidade de Uppsala pelo chanceler Magnus Gabriel de La Gardie ‒ o suposto favorecido do tesouro.
Com a combinação dos códigos em alguma parte desse Códice e de inscrições na Caixa de Freixo, o qual teria pertencido à Rainha Cristina da Suécia, (que teria elaborado o mapa do tesouro e ofertado tal presente a seu protegido da corte, Magnus Gabriel, no Século XVII), Mattias tem a certeza de que encontraria o tesouro. Para tal, revela-se disposto a eliminar todos que ousassem atravessar seu caminho e atrapalhar seu plano para pôr as mãos naquela fortuna incalculável ‒ inclusive Elisa.


S
abe quando você vê o livro, ele te chama atenção, você fica curiosa e vai com muita sede ao pote? É assim que me sinto com relação à Anjo Russo, por ser um triller policial ambientado na Noruega, achei que podia ser interessante, e poderia ter sido, mas não rolou.

Depois de finalizada a leitura, descobri que anjo Russo se encaixa em uma nova categoria chamada Scandi Crime, que são livros ou filmes ambientados na Escandinávia


Elisa é uma jovem carioca formada em medicina que conheceu um lindo Vicking e acabou se casando. Apesar de ser formada em medicina, atualmente Elisa se dedica a conseguir se adaptar em uma terra onde tudo é estranho e frio. Num dia em particular em uma visita a um dos barcos do marido, ela encontra uma caixa que parece perfeita para guardar as cartas que recebe do tio.

Eirik Leiv é um norueguês, e depois de pegar para sia responsabilidade de tocar o negócio da família, uma empresa de produção e venda de salmão selvagem, os negócios deslancharam, e quanto mais serviço, mas Eirik deixa Elisa sozinha na sua adaptação nada confortável.

Do outro lado temos o vilão, Matias Larsen, um professor de mitologia Nórdica, que resolveu depois de muitas pesquisas buscar um artefato que pode mudar sua vida completamente, e para isso ele não medirá esforços ou consequências, mas seus planos serão atrasados por Elisa, mesmo que ela não tenha consciência disso.

Recebi o livro em parceria com a Lilian Comunica, e como disse no inicio, logo que vi a sinopse fiquei extremamente curiosa com o tema e como a autora iria nos apresentar a trama. Uma coisa não posso negar, o livro possui muita história, é visível durante a leitura, o quanto a autora pesquisou sobre a cultura norueguesa, foi uma pesquisa ampla e bem colocada no conteúdo, mas as descrições são tantas que a coisa acaba ficando letárgica demais, tornando o processo de leitura cansativo.

A narrativa se alterna entre presente a passado, e apesar do livro ser iniciado em um momento de extremo ápice, quando os capítulos começam a se revesar a narrativa se torna morna, dando um choque de desânimo no leitor que espera que a adrenalina se mantivesse. Além do que a mudança abrupta acaba que confundindo o leitor, que já pode ter certa dificuldade de se ambientalizar na história.

A ideia do enredo me parecia ótima, mas a impressão que tive é de que a autora não soube se expressar dando muita atenção aos detalhes e a ambientação da protagonista. Quando enfim as coisas andam, e a cena inicial se repete, aí sim podemos acompanhar um suspense bem construído com acontecimentos inesperados, o problema é que na maioria das vezes o leitor não tem paciência de aguardar esse momento chegar e acaba abandonando o livro antes de enfim chegar aos melhores momentos.

 Não foi um dos melhores policiais que já li, mas ainda sim possui um contexto histórico e uma pesquisa muito bem elaborada, então apesar dele não ter sido perfeito do inicio ao fim, ainda sim merece créditos, e apesar de eu não ter me adaptado acredito que leitores que estejam acostumados ao tema se saim melhor e até gostem mais do que eu. Ou seja, um curte um policial com bastante pesquisa, é fã do escritor Jo Nesbo? Um dos mestres de Scandi Crime, então pode ser que esse livro te conquiste muito mais que a mim.



3 comentários:

  1. Tive que ler a sinopse duas vezes porque a achei um tanto confusa, sem saber quem fez o quê com quem. Sua resenha foi bem esclarecedora, gosto de um bom romance policial, sua resenha me deixou curiosa, mas o título não casou com a sinopse e ela, a sinopse não me prendeu.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Tive que ler a sinopse duas vezes porque a achei um tanto confusa, sem saber quem fez o quê com quem. Sua resenha foi bem esclarecedora, gosto de um bom romance policial, sua resenha me deixou curiosa, mas o título não casou com a sinopse e ela, a sinopse não me prendeu.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Achei bem confusa a sinopse...
    Gosto bastante de policiais, mas esse não me chamou muito a atenção.
    Gostei bastante de sua resenha, mas vou deixar essa dica passar!
    Na verdade sua resenha me fez entender o que a sinopse não fez.. rs. Parabéns e obrigado!!

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.