Resenha || Um Acordo e Nada Mais #02 - Mary Balogh

Um Acordo e Nada Mais - Livro 02 || Clube dos Sobreviventes #02 || Romance de Época || Mary Belogh || 304 || 2018 || Arqueiro 

Sinopse:
Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.
No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.
Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.
No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.



Todo mundo sabe que Romance de Época é um estilo cheio de clichês. Não que isso seja um problema, afinal adoramos um bom clichê, mas nesses romances em geral os personagens fogem a todo custo de um casamento arranjado e procuram pelo amor verdadeiro, e muitas vezes precisam lutar por ele. Mas neste livro, Mary Balogh mostra que o amor encontra caminhos estranhos para tocar um coração e que um casamento por conveniência pode sim se transformar em uma grande paixão.

Porque sempre é necessário mais do que sorte para alguém se livrar da autopiedade. Às vezes, esse sentimento está tão impregnado na pessoa que nada consegue persuadi-la a encontrar alegria.

Vincent Hunt é o mais jovem integrante do Clube dos Sobreviventes. Ele partiu para as Guerras Napoleônicas aos 17 anos e foi gravemente ferido em sua primeira batalha, o acidente acabou por deixá-lo cego, e mesmo sofrendo com terríveis ataques de pânico, sabe que deve ser grato pelo que possui.

Isso por que, de uma forma inesperada, Vincent herdou uma grande fortuna e um título de visconde, e com os cuidados constantes da mãe e das irmãs, ele não tem do que reclamar… a não ser de sua total falta de liberdade. Tentando protegê-lo, a família não permite que ele faça praticamente nada, tudo é colocado em sua mão e ele é poupado de todo esforço. Mas quando elas lhe encontram uma noiva, Vincent chega ao seu limite e foge de casa acompanhado por seu valete e melhor amigo, Martin Fish.

Seus anos de dependência estavam no passado. Era tempo de crescer e assumir o controle. Não seria fácil. Mas já fazia muito tempo que percebera que deveria tratar a cegueira como um desafio, não como uma deficiência, se quisesse ter uma vida feliz e realizada.

Ele decide voltar para a casa onde passou sua infância, em Barton Coombs, esperando encontrar por lá um pouco de paz e sossego, mas logo a cidade inteira fica sabendo de sua vinda e ele passa a
receber incontáveis visitas e se torna o alvo preferido das moças solteiras.

Sophia Fry vive em Barton Coombs em uma situação deplorável. Pobre e órfã, ela mora de favor com os tios que, apesar de não lhe deixarem faltar casa e comida, fazem questão de agir como se ela não existisse. Mas sua invisibilidade acaba quando Sophie descobre que os tios estão armando uma situação para forçar Vincent a se casar com sua prima Henrietta e parte para salvar o jovem visconde. Mas seu ato impensado vai provocar a fúria dos tios, que a expulsam de casa sem nem um tostão. Agora é vez de Vincent resgatá-la com uma proposta absurda e irrecusável.


Ela fechou os olhos. Queria tanto esse casamento. Ela o queria tanto ㅡ sua doçura, o senso de honra, seus sonhos, o entusiasmo, até sua vulnerabilidade. Queria alguém para sim. Alguém que a chamasse pelo nome, que a abraçasse para que se sentisse segura e que risse com ela. Alguém belo e dolorosamente atraente. Alguém que a ajudasse a deixar para trás a imagem estilhaçada que tinha de si mesma.



Que livro incrível! Quando pensei que não poderia admirar mais o talento de Mary Balogh, ela me vem com uma história dessas. Vincent é um dos personagens mais adoráveis que já vi, um homem lindo que não tem noção da própria beleza, uma alma gentil e ferida pela deficiência. Sophia é uma personagem muito típica dos Romances de Época, doce e contida pelas regras que a sociedade impunha às mulheres, e que ainda precisa lidar com o abandono e os maus tratos dos tios, mas mesmo com tudo de ruim que lhe aconteceu, ela não deixa de acreditar na bondade humana. Os dois juntos aprendem a enfrentar seus traumas e medos.

Outro ponto que me encantou nessa história, é que Mary Balogh não ficou criando empecilhos para que o casal ficasse junto, ou fazendo os joguinhos típicos de amor que vemos nos romances. É apenas um casal se conhecendo, amadurecendo e aprendendo a conviver e a se amar, e enquanto percorrem esse caminho, temas muito relevantes vão surgindo, como inclusão, acessibilidade, autoestima e perdão.

E para melhorar ainda mais, os demais integrantes do Clube dos Sobreviventes aparecem na história, inclusive Sophia passa um tempo hospedada na casa de Hugo e Gwen, protagonistas do primeiro livro, e foi muito bom rever o casal. Estou ansiosa pelo próximo volume, para matar as saudades que já sinto de Vincent e Sophia! Com certeza indico muito os dois livros da série e Mary Balogh continua soberana na minha lista de autoras preferidas de Romance de Época!




Uma Proposta e Nada Mais - Livro 01 | 

Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela.
Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa.
Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Um Acordo e nada mais Livro 02

Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.
No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.
Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.
No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.



Uma Loucura e Nada Mais Livro 03

Depois de sobreviver às guerras napoleónicas, sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e recuperar sua vida. Nunca imaginou que a esperança viesse na forma de uma bela mulher.

Após a morte de seu marido, Samantha McKay está à mercê de seus parentes opressivos – até que ela planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Sendo um cavalheiro, Ben insiste em escoltá-la em sua fatídica jornada.

Ben quer Samantha tanto quanto ela o quer. O que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Samantha está pronta para ir aonde o destino a leva, deixar para trás a alta sociedade e até mesmo a propriedade por causa de seu desejo por este belo e honrado soldado. Mas será que ela se atreverá a oferecer seu coração ferido, bem como seu corpo? As respostas a ambas as perguntas podem ser encontradas em um lugar improvável: nos braços um do outro.

9 comentários:

  1. Olá tudo bem? Apesar da obra ser um romance acredito que a leitura nos proporciona muito mais, adorei sua resenha, vi que existe histórias mais profundas no livro do que podemos imaginar, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee,
      Sim, amo esse tipo de livro, que nos passa muito mais do que apenas histórias simples, esse livro é bem bacana, a superação dos personagens é fofa e surpreendente.

      Beijokas

      Excluir
  2. Oi Kelly.

    Ainda não tive a chance de ler um livro dessa série, mas pela sua resenha a história deste segundo livro tem tudo mais me conquistar. Vou adicionar na minha lista de desejados para conhecer a escrita da Mary. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kênia,
      Como sei que você gosta desse estilo de romance tanto quanto eu, indico sem medo e fico aguardando a sua resenha, porque tenho certeza que vai adorar!!!

      Beijokas

      Excluir
  3. Olá.

    Estou lendo aos poucos romance de época e quero ler mais este ano e esse livro está na minha listinha. E concordo com o começo de sua resenha: as personagens sempre fogem do casamento arranjado hahaha mas sabe o que me cativou demais? “o amor encontra caminhos estranhos para tocar um coração.” Essa parte da sua resenha me despertou muita curiosidade e um desejo enorme de ler. Quero! Parabéns pela resenha e fiquei ainda mais feliz quando vi sua avaliação final.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie,
      fico feliz que tenha gostado, obrigada de verdade. Comecei a ler Romances de época tem apenas 2 anos, e mesmo elas fugindo do casamento ou correndo para um haha, sempre me divirto e aprendo muito com eles. São minhas leituras favoritas com certeza.
      Espero que goste muito desse, ele tem uma história de superação linda.

      Beijokas

      Excluir
  4. Oi, Kelly!

    Ainda não li nada da Mary Balogh, mas tenho muito vontade! O fato desse livro trazer o amor a partir do casamento de conveniência já é um fator diferencial.
    Sua resenha me passou tantas emoções positivas que já quero ler o livro logo!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, é um livro mais curioso que o outro! E que capas liiiiidaaaasss! O post ficou ótimo, obrigada pela recomendação!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro a autora, mas ainda não consegui investir nessa série, mas agora lendo suas impressões já add na minha lista de desejos urgente ... então desse ano não passa. Amei o enredo porque acredito nessa verdade. Valeu pela dica e parabéns pela resenha maravilhosa!!!

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.