[Resenha] Chronos: Limites do Tempo (Chronos 2) - Rysa Walker

Chronos: Limites do Tempo - Livro 02 || Chronos #02 || Sci-Fi , Fantasia , Young Adult || Rysa Walker || 384 || 2018 || DarkSide Books 

Sinopse:
Para impedir seu avô sádico, Saul, e seu bando de viajantes do tempo de reescrever a história, Kate deve correr para recuperar as chaves CHRONOS antes que caiam nas mãos dos Cyrists. Se ela pular de volta no tempo e puxar a chave errada - uma que poderia alertar os Cyrists sobre sua estratégia -, todo o seu plano poderia desabar, colocando em risco o futuro de milhões de pessoas inocentes. O único aliado de Kate é Kiernan, que também carrega o gene que viaja no tempo. Mas seu vínculo crescente ameaça tudo o que Kate está tentando reconstruir com Trey, seu namorado que não consegue se lembrar do relacionamento que ela não consegue esquecer.
Como evidência da mente distorcida de Saul, as missões de Kate se tornam mais complexas, obscurecendo a linha entre o bem e o mal. Qual das pessoas que Saul planeja sacrificar no passado, ela e Kiernan podem salvar sem arriscar seu objetivo final - ou suas próprias vidas?


Sabe quando você termina um livro e fica em estado de choque? Então..., a Dark não estava brincando quando colocou na sinopse que com certeza o leitor ia querer viajar no tempo para pular pro lançamento do terceiro livro. Ódio me define nesse minuto. Mas vamos ao que interessa.

No primeiro volume de Chronos conhecemos Kate e descobrimos que sua avó na verdade veio do futuro e ficou presa no passado, ela é uma historiadora viajante do tempo, mas por causa de seu marido Saul, que destruiu a sede da Chronos, todos os viajantes ficaram presos nas épocas para as quais foram designados, também descobrimos que Katherine fez um bem bolado para que a genética de Kate fosse totalmente compatível com o dispositivo Chronos, e que Saul está planejando uma aniquilação na terra voltando no tempo.

(...) Querer uma coisa não faz com que ela se torne realidade.

Resumo básico do primeiro volume feito, vamos ao trabalho..., Kate está se dedicando de corpo e alma para impedir que seu avô e sua tia Prudence alterem o passado e destruam a raça humana, e para isso ela vai precisar da ajuda de Kieran, o amor da outra Kate que foi dizimada quando a nossa Kate alterou a linha do tempo, confuso? Vou explicar...

O conceito básico de quando você faz uma viagem no tempo, é de que nada pode ser alterado, ou haverá consequências no futuro que já conhecemos, quando Kate partiu em busca de salvar sua avó e sua família no primeiro livro, ela automaticamente alterou uma linha do tempo onde os ciristas não existem e Kiernan namorava uma Kate, agora eles precisam aprender a lidar com a nova linha do tempo e trabalhar minuciosamente para não alterar mais nada, mas a cada missão, parece mais impossível, sair de tudo isso sem causar uma grande catástrofe.

Rysa continua apresentando seu dom narrativo no segundo volume dessa série, mas se no primeiro ela instigou o leitor a conhecer um pouco sobre a viagem no tempo, aqui ela faz uma imersão, deixando conceitos físicos de lado e levando tudo na prática, ou seja, se não leu o primeiro volume e não sabe nada sobre viagens atemporais, pode ser que você se sinta beeem perdido. Assim como no primeiro volume a autora nos dá uma incrível aula de história levando Kate para datas marcantes da história Norte Americana, criando um enredo não só rico em fantasia e ação como repleto de conhecimento histórico.



No primeiro livro acompanhamos a Chicago de 1893 e seu Serial Killer H. Holmes. já no segundo  acompanharemos fatos marcantes como o assassinato do Presidente John F. Kennedy em 1963, a Boston de 1905 e o sucesso de Harry Houdini com seus truques de mágica, e por fim a Geórgia de 1938 onde as leis de segregação racial ainda existiam e o preconceito era rei. Aliás, essa é a parte onde Kate permanecerá por tempo suficiente para levantar questionamentos inter-raciais nos dias atuais.

Com relação ao citado triângulo amoroso do primeiro volume, que para mim nunca foi um triângulo, aqui tudo fica bem claro, Rysa nos explica a relação dos personagens e nos apresenta novos personagens, dando um rumo surpreendente para a história, Kate está mais madura, mais sofrida e bem mais cansada, viajar no tempo pode parecer legal, mas tentar salvar o mundo nem tanto.

Os conceitos religiosos também são abordados com força, mostrando pontos positivos e negativos, e como as pessoa podem ser influenciáveis se convencidas com bom argumentos, coisa que pelo jeito Saul arrumou de sobra.

Uma coisa é saber que existem pessoas por aí que acreditam tão fortemente em alguma coisa a ponto de morrer por ela. Outra coisa, totalmente diferente é saber que você está lidando com pessoas que vão cortar a própria garganta de orelha a orelha e continuar ostentando o sorriso enquanto suas vidas se esvaem, confiantes de que o sacrifício valeu a pena

Chronos Limites do Tempo é um livro intenso e repleto de emoção e adrenalina, a autora se empenhou visivelmente no projeto e conseguiu apresentar para o leitor uma continuação digna e cheia de emoção, podendo até ser considerada melhor que o primeiro volume para alguns leitores, o enredo permanece coeso, e por mais que em alguns momentos coisas confusas aconteçam, aos poucos as peças vão se encaixando e a trama vai fazendo sentido.

Se você curtiu o primeiro volume, se joga de cabeça nesse segundo, a emoção aqui é garantida. E se você não curtiu muito o primeiro, se jogue mesmo assim, aqui as coisas fazem muito mais sentido e suas má impressões podem ser alteradas pela trama e sua continuidade.

Com relação a edição, impecável como sempre, não é a toa que a querida DarkSide vem sendo exemplo de trabalho para outras editoras, e o gran finale? Puta merda, sem palavras, preciso de um Chronos para ontem!!!



Lembrando que a série original já chega a 11 livros lá fora, mas não se sabe ainda se todos serão lançados aqui no Brasil. Série The Chronos Files

Na vida, tudo tem uma ordem certa para acontecer: os sapatos devem ser colocados depois das meias, a geleia deve ser passada no pão depois da manteiga — netos nascem depois dos avós. Kate Pierce-Keller nunca havia dado atenção a este último item, até sua avó surgir com revelações e um objeto que podem colocar sua existência em risco.
Os eventos da premiada Trilogia Chronos se iniciam quando Kate descobre que sua avó é uma historiadora viajante do tempo — nascida alguns séculos à frente, mas presa ao presente por conta de um acidente — e possui um artefato, um medalhão azul reluzente, que permite realizar saltos temporais para qualquer época e local.

Tudo parece um absurdo no início, mas uma leve interferência na linha temporal faz com que os pais de Kate sumam do mapa e ela seja a próxima da lista. Arriscando sua vida, ela aceita a missão de tentar voltar no tempo para evitar um homicídio que é a chave de tudo e colocar as coisas no seu devido lugar. Mas se ela for bem sucedida, a interferência também terá um custo pessoal.


3 comentários:

  1. Olá,
    Eu não gosto de livros que tenha essa premissa, eles não me atrai, e mesmo que tenha essa viagem a historia que foi marcante ele não desperta o meu interesse eu passo a dica

    ResponderExcluir
  2. Oi Kelly tudo bem? Adoro ler fantasia, fiquei bem curiosa em saber sobre eles, o que não me agrada é saber que não tem todos em português pois não tenho muita paciência em esperar para sair kkk. Mas fiquei curiosa pois a trama é muito interessante. Sua resenha foi maravilhosa e deu para ter uma ideia do que esperar, obrigado, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Eu estou louca para ler os livros dessa série, acho a premissa maravilhosa e com certeza é uma leitura que vai me agradar bastante. Eu adorei ver a sua opinião sobre esse volume, me deixou ainda mais curiosa para realizar a leitura.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.