[Resenha] Se não houver amanhã - Jennifer L. Armentrout



Se não houver Amanhã || YA , Romance || Jennifer L. Armentrout || 384 || 2018 || Universo dos Livros 

Sinopse:
Lena Wise está sempre ansiosa pelo dia seguinte, especialmente porque está começando o último ano da escola. Ela está decidida a passar o máximo de tempo possível com os amigos, completar as inscrições da faculdade e talvez informar seu melhor amigo de infância, Sebastian, sobre o que realmente sente por ele. Para Lena, o próximo ano vai ser épico — um ano de oportunidades e conveniências.
Até que uma escolha, um instante… destrói tudo.
Agora Lena não está ansiosa pelo dia seguinte. Não quando o tempo que dedica aos amigos pode nunca mais ser o mesmo. Não quando as inscrições para a faculdade podem ser qualquer coisa, menos viáveis. Não quando há o risco de Sebastian jamais perdoá-la pelo que aconteceu.
Pelo que ela permitiu que acontecesse.
À medida que sua culpa aumenta, Lena está ciente de que sua única esperança é superar o ocorrido. Mas como é possível seguir em frente quando a existência inteira, tanto dela quanto a de seus amigos, foi transformada?Como seguir em frente quando o amanhã sequer é garantido?



É
 difícil comentar sobre esse livro, mas lá vai.

A personagem principal é a Lena, que é uma garota que esta prestes a começar o último ano do ensino médio, e está naquela fase em que nos achamos velhos demais para sermos adolescentes, mas
jovens demais para sermos adultos. Temos que decidir para qual faculdade ir, e por vezes, nos despedir da família e dos amigos. Ela é aquele tipo de personagem super-realista, sabe? Que você totalmente pensa que pode existir.


― Então faça acontecer, Lena. ― O treinador Rogers baixou a mão. ― Você é a única pessoa que existe no seu caminho. 


É uma jovem com inseguranças sobre o futuro, com uma relação conturbada com o pai e com uma paixão platônica, (ou não) pelo seu melhor amigo e vizinho da porta ao lado, Sebastian; É uma filha responsável, uma leitora voraz e uma melhor amiga.

Quando em uma noite, Lane se deixa levar pelas emoções,  um erro idiota acaba por destruir tudo
aquilo que ela tinha de seguro, fazendo-a perdendo o chão, nós sentimos o quão difícil é pra ela passar por aquilo tudo. Sentimos o anestesiamento, a negação, a raiva, a culpa e a aceitação.

Nenhum de nós tem a garantia de um amanhã... Cansei de viver como se tivéssemos.


O tema base escolhido para história é realista, e infelizmente, bem recorrente. Por momentos eu me irritei com a personagem principal, mas ao me colocar no lugar dela, pensei em como eu reagiria.

Não é uma história depressiva nem nada do tipo, mas como lida com uma tragédia e suas consequências, eu acabei sentindo falta do romance, mas acho que nas cenas em que aconteceu, foi retratado de maneira linda. O Sebastian, (crush) é muito carismático e acabou sendo a ancora da Lena (e eu realmente queria alguns capítulos dele, sério, algumas cenas por seu ponto de vista seriam ótimas) e as cenas com as amigas da Lena são super engraçadas, elas tem aqueles papos bem doidos que só acontecem entre melhores amigas.

Não é aquele tipo de livro que tu termina vomitando arco-íris e com os olhos brilhando de felicidade, mas é aquela leitura que te faz refletir sobre os “e se” da vida e as consequências de uma decisão corriqueira.

Não vou falar mais pra não dar spoiler, mas eu recomendo a leitura. A jornada em si vale a pena. 

4 comentários:

  1. Olá, tudo bem?

    Jennifer Armentrout... Já tentei três livros dela. Já desisti de três livros dela. Talvez a temática - romance adolescente -, talvez o estilo de escrita. Provavelmente a falta de empatia com o estilo de escrita no estilo adolescente.

    Sua resenha foi boa e me deixou curiosa sobre "A Grande Tragédia" que vai modificar toda a existência da adolescente perfeitinha, mas como já passei pela adolescência e sei que unhas quebradas, abuso de álcool e meia-calça furada eram o fim do mundo vou continuar com a Anne Cassidy e seus mistérios adolescentes. Quem sabe um dia eu tenha empatia suficiente para conseguir me encantar com um livro da Jennifer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bel, tudo bem?
      Eu sou um pouco suspeita pra falar, porque realmente gosto da escrita dessa autora (apesar de preferir seus livros de fantasia).
      Essa história mexeu comigo principalmente por causa do tema abordado, que é super atual, e pela forma como ela o abordou. Normalmente os livros de tragédia se passam depois do fato, mas nesse nós temos a Lena lembrando da vida dela dias antes do ocorrido, e quais escolhas a levaram para aquela cama de hospital.
      Acho que no geral, somos bem rápidos em julgar os motoristas bêbados e sua inconsequência ao dirigir, mas a autora nos lembra que eles são humanos como nós e que qualquer um pode tomar as mesmas decisões que eles. Ela não justifica a atitude dos motoristas, mas narra uma situação tão realista que não temos como não questionar quantos acidentes ocorrem todo dia por pessoas que acham que mesmo tendo bebido, estão bem para dirigir. E o mais triste é o retrato da dor da sobrevivente, da família e amigos dos envolvidos. Achei a leitura válida porque é aquele tipo de livro que te faz refletir bastante.
      Espero que você dê uma nova chance pra autora!!

      Excluir
  2. Amei sua resenha, me deixou muito curiosa sobre "A Grande Tragédia".Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, obrigada por ter gostado da minha resenha ^^
      Eu gostei desse livro porque lida com o antes e depois de uma tragédia, então vivemos aquilo tudo junto com os personagens. E fica uma lição né?!
      Espero que você curta o livro.

      Excluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.