[Resenha] Em Pedaços #01 - Lauren Layne

Em Pedaços - Livro 01 || Recomeços #01 || Romance , New Adult || 248 || 2018 || Paralela 

Sinopse:
Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destrui-los de vez.
Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente.
Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente.

Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.



Depois de ter uma experiência maravilhosa com Mais que Amigos, aproveitei o embalo e resolvi me jogar na outra obra da autora, afinal leitura boa nunca é demais, ainda mais quando você tem uma pilha de obrigatórios para tirar da frente, porém, caí do cavalo e bati a bunda no chão com gosto, a leitura não foi tão boa assim.

Depois de cometer uma cagada das grandes, Olivia resolve abandonar a faculdade e se esconder do mundo em um lugar remoto, e para que isso aconteça de forma elegante, ela resolve virar cuidadora de um ex soldado, filha de pais ricos e mimada ao extremo, ela acredita que abandonar o problema
seja a melhor forma de resolvê-lo, e claro, que cuidar de um enfermo é castigo suficiente.

Para mim, cuidar de veterano de guerra não é filantropia. É um tipo de penitência.


Do outro lado temos Paul Langdon, o filhinho de papai ( mais um ) que resolveu se alistar no exercito em busca de um propósito na vida, mas depois de sofrer horrores na guerra do Afeganistão e ver todos os seus amigos morrerem, inclusive Alex, pai de uma garotinha doente, que morreu salvando sua vida, ele não quer mais contato com o mundo, e pretende ficar escondido na sua bela fazenda até que enfim o dia de sua morte chegue.

Só que Paul carrega um segredo, desde sua volta do Afeganistão, ele vem ajudando a família de Alex com os cheques que seu pai deposita como pensão para ele, mas quando o pai o ameaça de cortar seus suprimentos e joga-lo na rua caso não trate bem a nova cuidadora, ele se vê obrigado a aguentar a mesma por pelo menos três meses, mas Paul não está preparado para a emboscada que seu pai preparou, e talvez três meses sejam muito pouco para tudo que ele pretende fazer com sua mais nova e bela cuidadora.

Ao contrário de Mais que amigos, onde a química com os personagens foi instantânea, e a leitura foi magnânima, aqui lamento dizer que isso não aconteceu, e que apesar de alguns momentos terem sido divertidos, não valeu pelo todo, mas vamos por partes.

Já começo dizendo que a justificativa de Olivia foi bem falha, e que acreditar, que ajudar um homem ferido de guerra a se recuperar é uma boa forma de apagar seus próprios erros é o cúmulo do egocentrismo e falta de noção, já aí fiquei bem incomodada, mas por ela ser rica e mimada, deixei passar e prossegui, só que quando ela conhece Paul as coisas ficam bem piores!

O livro foi dito como uma adaptação de A Bela e a Fera, e tudo bem, a cicatriz de Paul pode ter transformado ele em uma fera que vive escondida e tem vergonha da própria aparência, porém, a Fera de verdade nunca foi cruel e maldosa, coisa que Paul é ao extremo, e confesso que não sabia se sentia mais raiva dele por ser tão cruel ou dela por aturar aquilo e não sentar a mão na cara dele.

Em questão de segundos, a raiva e tensão desapareceram dos seus olhos, e ela aceitou o que tinha acontecido, como se ela merecesse sofrer esse tipo de humilhação.

Paul é um mimado insuportável que acredita que pode tratar as pessoas de qualquer jeito porque não quer companhia, e até aí ok. O cara sofreu e quer ficar sozinho, só que as coisas que ele diz e faz com Olívia são extremamente agressivas e abusivas, e o fato dela permanecer tentando concertar ele me irritou profundamente, já teria mandado ele ir à merda a muito tempo.

Enfim, não houve simpatia alguma, eu entendo que muitas mulheres quando se apaixonam perdem o amor próprio e o bom senso, isso é real e nem o feminismo concerta, é sempre mais fácil perceber que o relacionamento é abusivo quando se está do lado de fora, e aqui fica bem claro.

No final o livro fica legal, ele toma rumo, ela toma vergonha na cara e tudo ok, mas como sei que tem muita gente que detesta esse tipo de romance já deixo o aviso que é abusivo e que você pode passar muita raiva antes que enfim as coisas se ajeitem.

Espero que os próximos livros da autora sigam o ritmo de Mais que Amigos, e que as próximas leituras sejam bem mais gostosas que essas, ainda sim se você não tem problemas com esse tipo de coisa, vale a leitura, afinal há alguns anos atrás eu li After e apesar de todas as críticas gostei, ou seja, gosto é gosto, e toda leitura tem seu tempo certo no nosso cronograma da vida.




Crushed - Esmagado 

Crescendo em Nova York, Michael St. Claire nunca esperou passar seus vinte anos usando botas de cowboy. Mas isso foi antes de ele saber sobre seu pai verdadeiro, um estranho total com uma família em Cedar Grove, Texas. Uma vez no estado Lone Star, Michael conhece Kristin Bellamy, que é requintadamente refinado e tudo o que Michael sempre pensou que queria em uma mulher. O único problema é que Kristin está namorando o novo meio-irmão de Michael, Devon.
A irmã de Kristin, Chloe, sempre foi apaixonada por Devon Patterson. Então, quando Michael se oferece para ajudar Chloe a romper com Devon e Kristin, Chloe concorda com um acordo que parece bom demais para ser verdade. Em pouco tempo, Chloe finalmente pega seu homem, apenas para fazer uma descoberta surpreendente: ela não quer mais o cara que ela teve que lutar - ela quer quem ficou ao seu lado.

Depois de tudo o que ele e Chloe passaram, Michael jura que ele está danificado. Chloe pode convencê-lo de que o amor vale o risco


18 comentários:

  1. Oi Kelly, tudo bem?
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler Mais que amigos, mas ele já me foi recomendado varias vezes. Não tenho costume de ler esse gênero, por isso dificilmente saio satisfeita (porém quero dar uma chance pra leitura e conhecer a escrita da autora). Agora esse que vc resenhou não me atraiu em nada =/ Não gostei da premissa e acredito que me incomodaria com as mesmas coisas que vc abordou

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Glaucy,
      Leia o outro, Mais que Amigos, é ótimo! A história é super divertida e deliciosa de ler, aposto que vai gostar bastante!!

      Beijokas

      Excluir
  2. Eu nao tinha pensado por esse lado e realmente voce tem razão, achar que cuidar de um ex soldado é uma boa maneira de se redimir de seus erros chega a ser ridiculo, obrigada por me alertar quanto a isso! Eu acho que ficaria extremamente irritada com ambos os personages haha te entendo totalmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha Também não tinha quando comecei a ler, mas a forma como ela apresenta a situação me deixou incomodada, porque até ela está incomodada com todo mundo achando que ela abandonou a faculdade para fazer algo bom.

      Excluir
  3. Gostei da sua resenha e amei mais a sua honestidade em relação a leitura. Essa coisa de achar bonitinho relacionamento abusivo, só porque é em histórias de livros, não é comigo. Não quero ler um livro para sentir raiva e ficar indignada. Dessa vez vou passar a dica. E parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,
      quando faço penso justamente nisso, não adianta eu encher de elogios e depois você ler e me achar mentirosa.

      Excluir
  4. Olá.

    Gostei muito da sua sinceridade na resenha. Infelizmente não é a primeira que leio e fala que se decepcionou com a leitura. Li "mais que amigos" e adorei. Confesso que quero muito ler este livro, mas vou dar um tempinho. Espero, também, que os próximos livros sejam melhores.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amei Mais que amigos, por isso me joguei nesse, acreditei que ela ia seguir a mesma linha e ia ser mais um livro amorzinho, mas não rolou.

      Excluir
  5. Apesar de sua resenha ter sido muito boa esse tipo de livro não faz muito o meu estilo, a verdade é que esse tipo de história não me atrai de jeito nenhum hahaha Um beijo.

    Ventos de Maio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu,
      fazia tempo que não lia esse estilo também.

      Beijokas

      Excluir
  6. Sinceramente, não sei como hoje em dia alguém escolhe retratar um relacionamento abusivo que no fim "dá certo". Porque nunca que isso devia acontecer, na minha cabeça até contribui pras mulheres que passam por isso não lutarem pra sair dessa situação, sabe? Não fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju,
      Infelizmente tem gente que gosta de ler, tem gente que lê de um tudo nessa vida e gosta, e isso me preocupa de verdade, porque se não consegue enxergar o quanto esse tipo de relacionamento é toxico nos livros como faz na vida real?

      Excluir
  7. Oi Kelly.

    Eu ainda não tive a oportunidade de ler Mais que Amigos,mas estou com ele aqui no meu Kindle para ler. Mas confesso que este novo livro da autora, ainda não conseguiu despertar meu interesse. Quem sabe minha opinião mude mais pra frente, mas no momento ficarei só com Mais que Amigos para ler e ver se vou gostar da escrita da autora.

    Bjos
    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kênia,
      Mais que amigos é muito fofo, você vai adorar a leitura!!

      Excluir
  8. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a autora, a premissa me pareceu meio fraca, mas o que mais tenho visto ultimamente são premissas fracas e se até Shakespeare teve suas premissas, digamos, infantis, porque não podemos ter as nossas.
    Não sei se leria esse livro, mimado + mimado = ainda estou com raiva de Os reis do Bourbon hahahah

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Tenho tido problemas com livros com relacionamentos abusivos, e não sei se teria estômago no momento. Antigamente não era algo que me incomodava, mas atualmente sim. Também amo Mais que Amigos e o medo de decepção com esse é forte. Ótima resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie!

    Primeira resenha que vejo desse livro que a pessoa é tão sincera! Já li que ele é releitura de A bela e a fera, e foi o que me desanimou um pouco de ler, pois eu gostei tanto de mais que amigos e fiquei meio, 'ah sei lá vou deixar pra depois', com sua resenha agora to com os dois pés atras para ler, mas vou deixar ele na listinha do "quem sabe um dia!" hahah

    Beijos
    Carol
    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oiii, Kelly! Pelo que vi, essa história é mais elaborada que Mais que Amigos e muito pelos temas abordados né? A cada resenha, percebo que preciso ler essa autora urgentemente!

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.