[Resenha/Parceria] Mulheres que não sabem chorar - Lilian Farias

Titulo: Mulheres que não sabem chorar
Autora: Lilian Farias
Editora: Giz Editorial
Páginas: 210
Ano: 2016
Onde comprar: Saraiva

Sinopse:
A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso.Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas?

"Duvidam muito das mulheres, fazem piadas e nos chamam de sexo frágil. Mas quem já experimentou a força de uma mulher ferida sabe da dimensão da nossa astúcia."

Marisa é uma mulher difícil de lidar, criada por pais rudes e religiosos sempre foi sempre obrigada a fazer o que lhe mandavam e manter a postura que lhe era esperada. Seguindo esses passos teve um casamento frio e se tornou uma mãe rigorosa, não aceita imperfeição e está sempre dando ordens e exigindo coisas, graças ao seu temperamento difícil não suporta sua vizinha Olga, uma alcoólatra que também fora obrigada a viver segundo as regras impostas, deixando de lado um grande amor e se afundando no vicio.





"As condições físicas dela eram deploráveis. O mau cheiro, roupas rasgadas e sujas, cabelos despenteados e, às vezes, com piolhos, as unhas quebradas. Uma figura de puro incômodo aos demais seres existentes. Cursando de 50 anos, era uma dócil viciada."

Cheia de remorsos e dores, Olga se utiliza do álcool para esquecer aquilo que não teve, o que não viveu. Teve um casamento forçado que gerou Maria como fruto, mas sua filha não a suporta tamanha as humilhações que já passou graças ao vício da mãe.

Do outro lado temos Verônica e Ana, duas jovens perdidas em seus pesadelos e suas obrigações com passados tristes que mexem com seu emocional até hoje. Talvez a felicidade de ambas esteja logo ali ao lado, apenas esperando para desabrochar.

As histórias acontecem em 2044, e apesar de ser um futuro longínquo, os preconceitos e costumes morais sem nexo continuam presente, transformando a história em apenas mais um acontecimento do futuro. Quatro mulheres, com passados distintos, porém repletos de sofrimento e dor, se encontram e se apaixonam, descobrindo o amor em seu semelhante.

Marisa resgata sua vizinha, até então odiada, após salva-la de um estupro, e após mantê-la em sua casa por alguns dias, descobre que aquele ser odioso pode ser tão mulher quanto ela, e começa a se encantar e se apaixonar, por uma Olga até então desconhecida, graças ao seu preconceito.

No enredo teremos dois romances homo afetivos, mulheres que depois de muito sofrer, se libertaram de seus dogmas, e encontraram prazer, amor e felicidade no toque de outra mulher. Se redescobrindo e construindo um futuro cheio de esperança e novas oportunidades.
Quando iniciei a leitura não saberia com o que ia me deparar, e com certeza não esperava por toda a carga emocional com a qual me deparei. Apesar de saber se tratar de um livro LSBT, não esperava os sentimentos, os conflitos e os pesadelos que encontraria em páginas tão frágeis.

Logo de cara os depoimentos dos leitores já mostra o que vem pela frente, uma história forte, cheia de relatos verdadeiros que foram unidos e transformados nessa bela obra.

Liliam se utilizou de relatos reais para criar suas protagonistas, todas mulheres que passaram ou passam por problemas bem comuns a nossa realidade, mas que se mantiveram firmes ou não, como no caso de Olga, se tornando rústicas como Marisa, ou amedrontadas e perturbadas como Verônica e Ana, todas elas pedras preciosas esperando para serem lapidadas e transformadas em joias.


"Quando a gente vive com medo, tudo é pretexto para repudiar o novo. Nós nos proibimos e nos machucamos sem sequer ter experimentado. Mantive a maioria dos meus relacionamentos na tempestade da indiferença, mesmo as amizades eram construídas à base da desconfiança."


Com palavras simples e um contexto forte, Lilian nos leva pelas histórias dessas mulheres sofridas, maltratadas pelo preconceito, machismo e culturas que fazem da mulher apenas um ser para reprodução, e ainda sim, elas enfrentam seus pesadelos e se tornam grandes personagens com lindas lições a ensinar.

O enredo é repleto de contextos reais que chegam a tirar lagrimas do leitor, afinal o fato de não acontecer conosco não significa que não saibamos que acontece, é até mesmo possível reconhecer pessoas próximas que passaram pelos mesmos maus e se tornaram pessoas difíceis de lidar.

Para quem gosta de coisas reais, contextos que levem à reflexão, o Mulheres que não sabem chorar é uma ótima leitura, um abrir de páginas que pode e vai lhe abrir novos horizontes, romper preconceitos e contextos antigos e machistas! Com certeza favoritado no quesito tocante e emocionante.


"-Às vezes, mãe, não sabemos mais nem quem somos, e precisamos nos unir a quem não sabemos quem é para nos resgatar."

Apesar de pesado, Lilian conduz a história de uma forma leve e que torna impossível deixar a leitura de lado antes de descobrir qual o final que nossas simples heroínas terão."


Com uma capa linda porém simples que não revela nada do contexto, essa obra promete boas e más surpresas, mas acima de tudo lhe promete um novo olhar sobre a vida é as condições da mulher tanto no passado quanto nos dias de hoje.

Deixo meus sinceros parabéns para a autora que juntou uma bela pesquisa e montou um lindo exemplar para mulheres e para quem gosta de mulheres, pois nos entender no sentido real da vida é sempre esclarecedor!

Com um contexto emocionante e tocante, uma obra que super indico, sensível e ao mesmo tempo forte, como só as mulheres sabem ser. Uma leitura rápida, mas que contém linhas expressivas que mudaram para sempre sua forma de ver o universo feminino. Delicie-se com esse enredo totalmente novo e se permita aprender a chorar junto com nossas protagonistas.




:::::::::::::::::::::::::::::::
                                    Conhecendo a Autora:

 Lilian Farias
Lilian Farias é autora dos livros O Céu Está Logo Ali e Mulheres Que Não Sabem Chorar. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito.
Para saber mais sobre a autora e sua obra, acesse: Fanpage | Skoob | Facebook | Instagram








8 comentários:

  1. Um livro chocante e revelador, que mostra sem rodeios as dificuldades que as mulheres (principalmente as homossexuais) são submetidas cotidianamente e ainda tem gente que acha que são vitimistas.

    Adorei a resenha, faz jus à grandeza da obra. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Sempre vejo resenhas positivas sobre este livro. Aliás, sobre qualquer livro dessa autora! Ainda n tive o prazer de ler, mas dá p saber que a leitura te agradou e me agradaria por trazer questões fortes e bem relevantes nos tempos atuais. Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Oi BFF!!!! <3

    Estou morta de vontade de ler esse livro! Acho tão importante que a Lilian Farias trate desse tema, porque a dificuldades que enfrentadas pelas mulheres precisam ser denunciadas e combatidas, e se for com essa leveza que vc cita, acredito que alcançará muito mais os leitores.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?

    nossa que sinopse e que história instigantes. Confesso que não é o tipo de literatura que estou acostumada a me aventurar, mas gostei da maneira como as questões foram abordadas. Assim que tiver um tempo para me dedicar a leituras por prazer quero conhecer um pouco mais dessa história.

    Beijos,

    Bel Góes

    ResponderExcluir
  5. Oi Kelly, sua linda tudo bem?
    Nossa, são personagens muito sofridas, com dramas fortes. Posso estar enganada, mas senti que a questão principal aqui não foi ser forte para enfrentar o preconceito para viver esse amor e sim se encontrar como pessoa. Como no trecho que colocou, elas precisavam se resgatar, e talvez o amor tenha sido o lugar seguro para elas conseguirem fazer isso. Desejo muito sucesso para a linda da Lilian!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tenho acompanhado muitas resenhas e ótimas críticas sobre essa obra, sempre que possível acompanho o blog da autora e estou muito ansiosa para ler essa obra. Parabéns pela resenha!

    Super beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Kelly, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse livro, e pela capa nem imaginava se tratar de um drama LGBT, mas a história me atraiu bastante, fiquei imaginando quais seriam os dramas dessas mulheres e como isso as uniu, não sabia que se passava no futuro, e acho muito legal a literatura estar abrindo a mente das pessoas (ou tentando) para acabar de vez com o preconceito e machismo que está tão latente na sociedade.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá... tudo bem??
    Sua resenha ficou linda demais.... a escrita de Lilian, consegue mesmo nos emocionar e nos fazer refletir... tenho vontade de ler esse livro... acredito que ele traz uma forma diferente de encarar a vida e nos tirar de um preconceito bobo que colocamos em nossas vidas e mesmo sem perceber o usamos e as vezes podemos machucar as pessoas... eu curti muito a premissa que trouxe... sempre vejo as pessoas falando desse livro a minha vontade de ler só aumenta... Xero!

    ResponderExcluir

Seja bem vindo!
Muito obrigada pelo seu comentário, sua visita é muito importante para o Paraíso!!
Volte sempre

Tecnologia do Blogger.